Rio -  A Prefeitura Universitária da UFRJ decidiu antecipar as intervenções no trânsito que alteram os horários de entrada e saída da Cidade Universitária, na Zona Norte do Rio. Desta forma, o novo esquema começou a valer a partir das 23h desta terça-feira.
De acordo com os novos horários, o Portão 1 e a Saída Norte funcionarão ininterruptamente. O Portão 2 será fechado diariamente das 23h às 5h30. Já a Saída Sul, da Ponte do Saber, ficará aberta apenas das 12h às 23h. Os demais acessos terão horários diferentes para entrada e saída. O Portão 3 ficará aberto entre as 5h30 e as 17h30 para acesso ao campus e das 12h às 23h para saída. O Portão 4 ficará aberto apenas para entrada, das 7h às 16h.
Todas as empresas de ônibus que circulam pelo campus estão sendo informadas que deverão, até as 12h, sair do campus apenas pela saída próxima ao Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF). As linhas são 386B (Anchieta – Cidade Universitária), 945 (Pavuna – Cidade Universitária), 485 (Ipanema – Penha), 486 (Ipanema – Cidade Universitária), 913 e 616 (integração Metrô Del Castilho – Cidade Universitária), 933 (Bangu – Cidade Universitária) e 410T (S. J. Meriti – Barra da Tijuca).
De acordo com o prefeito Ivan Ferreira Carmo, as mudanças ocorrem por conta das obras do consórcio BRT/Transcarioca, que construirá duas estações na Cidade Universitária, e já estavam em estudo, mas foram precipitadas em virtude da iminência de greve dos servidores federais e para melhorar as ações para segurança dos frequentadores do campus.
A segunda etapa das obras para a construção da via para os BRTs está em andamento e passará pelo campus universitário dentro de 30 dias. “A ligação entre o Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, e a Barra da Tijuca, na Zona Oeste, outro extremo do município, é uma realidade e a comunidade universitária será beneficiada. Mas é preciso entender que haverá um ônus”, disse Ivan Carmo.
Com uma área de 4,8 milhões de metros quadrados, a Cidade Universitária tem vários pontos de entrada e saída. “Sabemos que as medidas vão ter impacto no tráfego de todo o Rio de Janeiro, mas o campus, ao mesmo tempo em que se transforma em atalho, vira um local inseguro para os estudantes, inclusive por causa dos casos de excesso de velocidade em nossas vias. Sabemos também pelo depoimento das vítimas de sequestro relâmpago que a rota mais utilizada pelos criminosos é a que conduz para a Linha Amarela”, informou Ivan Carmo.
Na opinião do prefeito Ivan Carmo, o aumento do controle das vias de acesso à universidade era inexorável. “Percebemos que 80% das pessoas chegam de manhã e deixam a Cidade Universitária no fim da tarde. Vamos fazer uma espécie de funil mantendo abertas as entradas e restringindo as saídas pela manhã e à tarde fazer o contrário. Iremos reduzir o fluxo de pessoas e facilitar o patrulhamento da Polícia Militar e da Coordenação de Segurança”, declarou.
FONTE O DIA ON LINE